Ciranda de Gaia é uma jornada de empoderamento feminino. Um processo de psicoterapia de grupo criado e conduzida há seis anos por Andréa Sumé e Janete Aurea Duprat.

Inspirada no Triskelium, antigo símbolo Celta, Ciranda de Gaia é a voz que chama as mulheres para acessar suas profundezas e despertar a Deusa Tríplice que nos habita : a mulher donzela, a mulher mãe e a mulher anciã.

Uma jornada de Três Ciclos cujas raízes brotam na trajetória do nascimento, percorrendo os campos da infância e a cura das feridas da criança interior. As fases da maturidade, o feminino e o masculino, os padrões sistêmicos familiares, pai, mãe e avós , bem como o encontro com os arquétipos da mulher selvagem, o resgate da natureza intuitiva e a sacralidade ritualistica que envolve o universo feminino.

Todos os Ciclos incluem Ritos de Passagem, que são vivências fortes, desenvolvidas para consolidar mudanças através da mente, corpo e coração. Essas vivências são cuidadosamente estudadas e aplicadas, gerando a oportunidade de transformação real que acontece de dentro para fora.

Olhar para as feridas, escutar os anseios da alma e reaprender a viver a dança cíclica do Feminino.Este é um chamado para a cura , que floresce no renascimento de quem somos . É a roda que gira , que amplia nossa perspectiva e nos devolve a sabedoria que existe dentro de todas nós.

​Você está sendo convidada a expandir a visão sobre si mesma , compreender melhor sua própria história e viver de forma mais integrada e harmoniosa os seus relacionamentos.

Uma parceria construída ao longo dos anos


Nós somos mulheres, respiramos a força do ventre e temos a honra de sustentar o fio da Grande Mãe.
Por algum motivo nossas mães, avós e tias nos transferiram o legado da Terra: sustentabilidade emocional, fartura de recursos e uma incrível disposição em visitar as profundezas.
Fêmeas. Ferozes. Transgressoras.

Assim construímos nosso elo com base na amizade sincera e numa irmandade que abraça e acolhe as diferenças.

São 21 anos de histórias, intimidades e inspirações onde aterramos a potência de sonharmos juntas e realizar.
Parteiras de um novo tempo, gestamos o encanto de nossas intenções e tecemos o círculo sagrado.
Ciranda de Gaia nasceu, cresceu e nos devolveu a matriz selvagem das sendas do feminino.
Seguimos honrando as origens do nosso campo arquetípico.

×